Policial / Notícia

Cerca de 16,3% das mulheres da Paraíba sofreram violência em 2019, segundo dados do IBGE

Para os homens, esse número é de 15%. Porcentagem total da população adulta do estado que sofreu algum tipo de violência nos 12 meses analisados é de 15,7%
person access_timePostado em 07/05/2021 23:24 chat_bubble_outline

O relato de violência na Paraíba em 2019 foi mais frequente entre as mulheres, cerca de 16,3%, do que entre os homens, com porcentagem de 15%, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE). Assim, pegando a média, 15,7% da população adulta do estado sofreu algum tipo de violência nos 12 meses analisados.

São 469 mil pessoas nessa situação, conforme a Pesquisa Nacional de Saúde - PNS 2019. A proporção registrada no Estado ficou abaixo das médias nacional e regional, além de ter sido a menor do Nordeste.

Mulheres de 18 anos ou mais que sofreram algum tipo de violência em 2019
 
16,316,3202019,419,4ParaíbaNordesteBrasil0510152025
Fonte: IBGE

Em João Pessoa, o percentual foi ainda menor, cerca de 14,9%, e inferior à média das capitais da região, que marcaram 20,5%.



Do total estadual de pessoas que sofreram alguma violência, 13,2%, aproximadamente 62 mil, deixaram de realizar atividades habituais em decorrência disso. Entre a parcela feminina dessa população, essa proporção foi bem maior, 17,6%, contra 9,9% da parcela masculina.

Na população de 18 anos ou mais de idade, 4,7% havia sofrido violência sexual alguma vez na vida, o que significa aproximadamente 139 mil pessoas. A incidência desse tipo de agressão foi mais comum no grupo feminino do que no masculino: 6,5% contra 2,5%.

Ainda conforme a pesquisa, 2,7% da população paraibana sofreu violência física no período investigado, o menor indicador identificado no país. A média brasileira ficou em 4,1% e a nordestina em 4,5%. Esse tipo de agressão teve mais vítimas homens (3,1%) do que mulheres (2,4%).

Além disso, 449 mil pessoas sofreram violência psicológica. O número representa 15% dos habitantes adultos do estado. Em mulheres, a ocorrência dessa forma de agressão foi de 16%, ao passo que junto aos homens foi de 13,9%.

 


Comentários