Esporte / Notícia

Artilheiro e decisivo, Hernane volta a dar sentido ao apelido: Brocador

Atacante fechou o Campeonato Pernambucano com nove gols, mas foi expulso na decisão e não pôde ampliar marca.
person access_timePostado em 21/04/2019 23:12 chat_bubble_outline

Hernane Brocador fez dois gols contra Salgueiro — Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press

O apelido não virou "sobrenome" no futebol à toa. Hernane se transformou em Brocador pelos gols. Em 2013, quando defendia o Flamengo, viveu um ano mágico. Fez 36 em 58 jogos. A partir daí, acostumou-se a balançar as redes, como foi no Bahia, em 2016. A fonte secou, no entanto, em 2018. Com as camisas do Tricolor de Aço, Grêmio e mesmo no Sport, anotou apenas cinco gols em 23 partidas. E, no fim do ano, amargou o rebaixamento à Série B com o Sport. A história mudou em 2019. Hernane ficou no clube, aceitou a readequação salarial e fez as pazes com as redes.

Na grande final, ele passou em branco. Logo no início do jogo se envolveu em uma confusão com Sueliton. E foi expulso.

  • Ele me chutou embaixo. Estava de sangue quente. Depois da cabeçada, eu revidei. Pela primeira vez fui expulso. Achei desnecessária a expilsão. Sei que errei no lance. A gente sabe que isso faz parte do futebol. Agora ele tem que assistir eu comemorar.

O ano do Brocador começou com olhares de desconfiança, por ele ser um dos remanescentes do time rebaixado para a Série B, em 2018. O técnico Milton Cruz, que iniciou o ano no comando do Sport, indicou a contratação do atacante Elton, homem de confiança dele, com quem trabalhou junto ano passado, no Figueirense. No primeiro momento, o torcedor intuiu a ida de Hernane para o banco de reservas. Um futuro longe do clube não era descartado. Isso não só não aconteceu, como ele se manteve como titular e virou peça fundamental para o título.



  • Fico feliz pela artilharia. Todo elenco tem parcela. E, por exemplo, Ezequiel contribuiu bastante para que isso acontecesse. O ano apenas começou. Isso é só início - afirmou, em meio aos jogadores do Sport.

Na estreia do Sport no Pernambucano, uma derrota por 3 a 2, na Ilha do Retiro, para o Flamengo de Arcoverde, viu-se um Hernane Brocador parecido com o de 2018. Pouco participativo, sem aparecer para finalizar. Resultado: passou em branco. Com a derrota do Leão, as reclamações só aumentaram. Nada como um jogo após o outro, no entanto. Nos três confrontos seguintes, marcou quatro vezes, um dos gols uma pintura, no clássico contra o Náutico, adversário da final, neste domingo.

Hernane Brocador marcou gols contra Salgueiro e Central, na primeira fase do Campeonato Pernambucano, além de Petrolina, nas quartas de final, e duas vezes diante do Salgueiro, na semifinal.

A artilharia e o título podem ter sido os últimos atos de Hernane com a camisa do Sport. Na última quinta-feira, o GloboEsporte.com revelou que Santos e Chapecoense estariam interessados no jogador. Na ocasião, desconversou, mas a semana será decisiva para que o jogador defina o futuro.

  • Especulações fazem parte do futebol. Sabemos que isso sempre vai acontecer - resumiu.

 


Comentários