Brasil / Leilão

Aviões abandonados pela Funai devem ser vendidos; edital será lançado em 30 dias

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, criticou a situação de desgaste do patrimônio.
person access_timePostado em 09/07/2019 09:04 Atualizado em 09/07/2019 09:08 chat_bubble_outline

Em vídeo publicado pelo presidente Bolsonaro, a ministra aparece ao lado dos aviões encontrados

As nove aeronaves sucateadas, abandonadas pela Fundação Nacional do Índio (Funai) e encontradas após uma vistoria devem ser vendidas. De acordo com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, responsável pela investigação, um edital deve ser lançado dentro dos próximos 30 dias para que sejam postas à leilão.

Os nove aviões, que deveriam garantir atendimento médico para a população indígena de todo o país, foram encontrados em hangares dos aeroportos de Goiânia, Brasília, Rio de Janeiro e Itaituba, no Pará.

Segundo a pasta, todas as aeronaves encontradas estão em péssimo estado de conservação e sem condições de voar. Só de aluguel atrasado com o estacionamento das aeronaves, o prejuízo aos cofres do governo federal pode chegar a R$ 3 milhões. A dívida supera o valor atual de mercado das aeronaves, estimado em R$ 1 milhão.



A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, foi até o local vistoriar os aviões e criticou a situação de desgaste do patrimônio. “Uma aeronave dessa com capacidade de 12 pessoas, abandonada aqui desde 2013 pela Funai. Ela estava sendo destinada à saúde indígena. Quantos índios morreram por picada de cobra porque não tinha uma aeronave próxima para levá-lo ao hospital?”, questionou.

A Funai agora investiga o caso, mas a suspeita é de que tenham sido abandonados após a transferência da competência de atendimento médico aos indígenas para o Ministério da Saúde, em 2010.

*Com informações da repórter Victoria Abel 


Comentários